BLOCO DA LAJE

O Bloco da Laje, formado originalmente com o objetivo de reunir amigos, artistas e simpatizantes do carnaval para sair pelas ruas da cidade em cortejos pré-carnavalescos em 2012, superou as expectativas do próprio grupo que o criou, reunindo mais de duas mil pessoas nas ruas da Cidade Baixa no ano de sua criação. De lá pra cá, o grupo se solidificou e se estruturou como um coletivo, marcando presença na cena cultural de Porto Alegre.

A intenção não é seguir moldes pré-estabelecidos, mas buscar a raiz das celebrações populares, a festa da carne, do povo, anárquica, libertadora, democrática, pública, horizontal, visceral. O coletivo se diferencia por procurar sua forma própria de brincar e de oferecer estas brincadeiras ao público: esteticamente organizado, pulsante e principalmente convidativo à participação, à celebração e a momentos de comunhão através de uma experiência artística compartilhada, onde o público se integra fisicamente à obra e se torna um co-autor.

O Bloco da Laje se vale do conceito da antropofagia para constituir sua linguagem, resultando em um grupo cênico/musical/carnavalizado, ou um bloco teatralizado, autoral, inspirado na cultura popular na composição de seus jogos e canções. Tal formação permite a formulação de um produto cultural híbrido, que transita em diferentes segmentos da cultura.

A composição estética do bloco se origina no improviso, na alegria, no encontro, na roupa das festas de domingo: bela, brilhante e única, mesmo que reciclada e improvisada com os materiais disponíveis. O conceito “Laje” considera mais a criatividade do que o luxo, mais a beleza do artesanal do que a beleza pré-fabricada e padronizada. Assim, os próprios participantes do Bloco são autores de seus figurinos, da composição de suas figuras, dos elementos cênicos utilizados, das bandeiras, adereços, bonecos e alegorias, constituindo uma estética própria, dentro das cores coletivamente eleitas: vermelho, amarelo e azul, as cores primárias.

Desde sua criação, o Bloco da Laje viveu momentos impactantes, como sua primeira saída às ruas, onde foi seguido por mais de duas mil pessoas. Participou de importantes eventos das artes cênicas, como o encerramento do Dia Internacional do Teatro, em março de 2012; do Arraial da Laje, onde, em pleno inverno gaúcho, levou hordas de foliões às ruas da Cidade Baixa, em Porto Alegre; do Aniversário da Casa de Cultura Mario Quintana, em setembro e, mais recentemente, no encontro com o grupo Tucurutá, em novembro. Marcou presença na cerimônia de entrega do Prêmio Açorianos, no Teatro Renascença, em 14 de dezembro, como grupo convidado.

JU ROSSI presente desde a criação em 2012 é figura carimbada com seu sax colorido e alegria estampada.

Client: BLOCO DA LAJE

Tags: ESPETÁCULOS, MÚSICA

View Project
Back to Top